Estou preparado para um processo de Coaching?


Coaching tornou-se ao longo do tempo uma forma cada vez mais acessível de desenvolvimento pessoal. E você provavelmente está se perguntando: preparar o que? O que eu estou querendo dizer com estar preparado? Posso garantir a você que sim, com a profissionalização cada vez maior do processo é fundamental que você se prepare. Ao final deste artigo espero ter contribuído com dicas e reflexões que o ajudem a ter o melhor custo-benefício em seu processo.


Eu quero ou preciso de passar por um processo de coaching?


Da ótica da filosofia o desejo é uma força que se refere a um fim o qual é percebido, pela pessoa que o contém, uma fonte de satisfação que pode ser consciente, inconsciente ou reprimida. A vontade, por sua vez, é a capacidade de querer, de, com liberdade, praticar ou deixar de praticar uma ação sob direção da razão.


Optei por trazer esse ponto de vista para provocar em você reflexão e esclarecer que antes de iniciar um processo de coaching, na posição de coachee você deve fazer alguns questionamentos: essa demanda é uma inquietação minha ou ela foi gerada por percepções feedbacks do meio ou pela organização que eu trabalho? O que eu preciso é um processo de coaching? Ou a minha busca é por um treinamento? Passar por esse crivo é determinante, afinal de contas isso vai definir que abordagem pode ser mais relevante para você.


De que forma você pode se preparar para esse momento? Como você está comprometido com a sua mudança? Mudança sim, pois coaching pressupõem sempre uma mudança que se materializa pela ação e impacto percebidos no sistema. Então é importante você saber que como Mentee, alguém que toma os serviços de coaching, tem alguns papeis e responsabilidades: veja algumas possíveis a seguir:



Como Coachee, você tem responsabilidade por:


  • Seu próprio aprendizado.

  • Escolher seu coach

  • Relacionar-se sempre no papel de adulto para adulto

  • Criar e manter um ambiente ético e profissionais na relação;

  • Dar Feedbacks honestos para seu Coach sobre seus avanços e aspectos da relação de parceria que afetam você;

  • Criar uma parceria de aprendizagem com seu Coach e outros envolvidos no processo (ex.: gestor, equipe de trabalho);

  • Preparar-se para a sessão;

  • Usar o tempo de sessão de forma eficaz (gerencie os limites de tempo);

  • Apresentar suas questões aberta e honestamente;

  • Aplicar suas descobertas e prototipar no dia a dia. Aprender pela ação;

  • Ter conhecimento do impacto de suas ações no sistema em que atua;

  • Monitorar e avaliar conscientemente sobre seus avanços no dia a dia;

  • Refletir honestamente sobre seus avanços e recaídas;


* Adaptação – On Being Supervisse – ( Carrol & Gilbert- 2011)


Adiante esclarecerei mais sobre alguns desses aspectos:


De início você precisará escolher um profissional que você confie. Nesse caso confiar não significa simpatizar ou ter empatia, como se fala frequentemente hoje de forma inadequada. No primeiro contato surgem os sentimentos primários: simpatia ou antipatia; e empatia é algo desenvolvido na relação. Não se confunda! Não contrate pela simpatia, nem exclua pela antipatia. Contrate pela experiencia que é o mais relevante.


O coach não precisa ser alguém agradável que só fala de situações amenas com você. Talvez um profissional “menos afável” do que você espera ajude mais nesse momento. Não se apegue a esse detalhe. O importante é que esse profissional faça provocações importantes para o seu desenvolvimento e o leve a lugares que um profissional com outro tipo de perfil não levaria. Permitir essa experiência poderá ser de grande valia na sua mudança. Coaching é uma ferramenta de transformação e de maturidade.


Outro aspecto que sem dúvida alguma deve ser objeto de sua avaliação antes de iniciar pelo processo é verificar a experiência e a solidez da carreira do profissional que irá te apoiar. Procure saber quantas horas de atuação ele possui? Quais são suas formações? Quais são suas certificações? Se é certificado por uma entidade independente, se realiza processo regular de supervisão? Essas informações serão os maiores indicadores de que o seu processo será realizado dentro da ética e dos padrões reconhecidos.




De que forma você define suas expectativas sobre o processo?


Discutir que tipo de contrato você terá com o coach e quais os temas que você gostaria de trabalhar faz parte da etapa de construção da relação. Quanto maior for a sua profundidade e clareza em relação a isso, melhor será para o desenrolar do processo. As expectativas são alinhadas nesse sentido, pois estamos falando de mudança de comportamento através da ação e exige da sua parte comprometimento. Deste modo, uma maneira eficiente de concluir os temas é pensando como você gostaria de ser e como você gostaria atuar a partir dessa transformação? Reflita bem.



É muito comum que o cliente me procure sem qualquer ideia sobre o que gostaria de trabalhar e nem saiba os resultados que almeja. Embora isso não impeça a realização do trabalho, a grande diferença será genuinamente ter uma pergunta ou uma inquietude intrínseca. Se o desejo de transformação não for autêntico pode até ser que durante o processo aconteça de você acessar isso, mas talvez seja menos potente e significativo do que poderia ser.


A partir do momento que você decidiu passar pelo processo de coaching é necessário que esteja aberto também a um processo de autoavaliação constante seu da relação com seu Coach. Ou seja, deve se conscientizar que a relação avalia a cada passo o que está ou não funcionando. Esse é um norteador do processo, e nem sempre as coisas serão do jeito que você quer. O papel do coach não é fornecer dicas, ao contrário, é de desafiá-lo constantemente. Coach não é guru, tão pouco é terapia.



Durante o processo você pode não concordar com alguma forma de abordagem, lembre não há qualquer restrição que o impeça disso. Esse é um espaço seguro para que isso aconteça e tudo bem. Inclusive é sempre bom lembrar que você, coachee, pode parar o processo a qualquer momento. Mas sempre é bom levantar quais são as razões que o levaram a tomar a decisão: o processo não está funcionado para você ou a sua ação é um meio de sabotagem e você não quer olhar para isso? Essa percepção é elucidativa.


Como em todas as relações no processo de coaching existe um acordo psicológico, isto é, expectativas e crenças a respeito das obrigações são criadas de forma espontânea; fique ciente de que esse é um lugar flexível. Quero dizer que durante o processo as coisas podem mudar e algo que não seria abordado pode ser trazido.


Que tipo de transformação você está buscando nesse momento? Quão preparado para agir com congruência você está? De que forma o coaching pode potencializar o seu desenvolvimento hoje?


Se nesta leitura você tiver tido alguns insights, inquietações, desconfortos e um melhor entendimento do seu papel ao contratar um processo de coaching, o meu objetivo terá sido atingido.



Algumas dicas para o sucesso do seu processo:


  • Escolha seu Coach;

  • Saiba o que quer alcançar ;

  • Tenha expectativas realistas;

  • Negocie um acordo de trabalho e rediscuta sempre que achar necessario;

  • Pense a frente e seja estratégico;

  • Seja proativo;

  • Aprenda com apoio e desafio;

  • Use o espaço de reflexão de forma consciente, tire o máximo da sessão;

  • Identifique seus recursos e trabalhe de forma inteligente;

  • Estabeleça metas e faça planos de ação;

  • Desenvolva habilidades, faça mudanças e entregue resultados;

  • Responsabilize-se pelo seu processo;

  • Acrescente outras dicas a partir de suas experiência.


* Baseado em Connor & Pokora ( 20070


Se deseja ter apoio de coach profissional para se desenvolver nesse tema entre em contato: jorge.dornelles.oliveira@ggnconsultoria.com.br WhatsApp (11) 96396.9951


Leia também:


Baby Steps: a chave para as grandes mudanças que você quer realizar


https://www.jorgedornellesdeoliveira.com/post/baby-steps-a-chave-para-as-grandes-mudan%C3%A7as-que-voc%C3%AA-quer-realizar



As metas como um vetor de desenvolvimento do cliente e sua essência multifacetada no coaching


https://www.jorgedornellesdeoliveira.com/post/as-metas-como-um-vetor-de-desenvolvimento-do-cliente-e-sua-ess%C3%AAncia-multifacetada-no-coaching


Por que percebemos a sombra como um lugar das vergonhas e falhas e não como lugar de transformação?


https://www.jorgedornellesdeoliveira.com/post/por-que-percebemos-a-sombra-como-um-lugar-das-vergonhas-e-falhas-e-n%C3%A3o-como-lugar-de-transforma%C3%A7%C3%A3o



Jorge Dornelles de Oliveira

Maio de 2022

8 visualizações0 comentário