Como transformar sua lista de promessas do Ano Novo em projetos eficientes e sólidos?


O início do ano abre espaço para fazermos uma avaliação verdadeira dos objetivos que concretizamos no ano anterior e para planejar o que queremos nessa nova etapa que começa. No entanto, muitos projetos não saem do rascunho e mesmo quando saem muitos deles acabam sucumbindo com o passar dos meses. Será que é possível encerrar velhos ciclos e iniciar o ano com êxito nos novos projetos? Talvez você não saiba, mas o modo como você estrutura os seus planos para o futuro, tal qual uma bussola, pode apontar se você está se aproximando ou se distanciando do seu alvo.


De que forma é possível distinguir as ações que te ajudam a construir o seu futuro e o que é preciso eliminar nesse processo? Quais são suas estratégias para atingir os objetivos desejados? Como você se avalia?


Há dois modos bem comuns de desvendar o futuro. O primeiro é construir uma visão sobre ele (e existem muitas técnicas para se fazer isso). O segundo modo é fazer uma observação rigorosa a partir das suas ações e buscar entender para qual lugar elas estão te conduzindo. Ao que tudo indica, grande parte das pessoas identificam seus sonhos e visões; mas, na prática, frequentemente atuam no sentido contrário à sua concretização e nem percebem que fazem isso. Nesse caso vale fazer a pergunta: o que realmente importa para você? Seguramente você dirá: “meu sonho, minha visão etc.”. Ainda assim, por que suas ações mostram o oposto?


Nesse lugar há também muitos indivíduos que sequer conseguem construir sua visão de futuro de forma objetiva e acabam dizendo que não possuem um plano ou qualquer projeto para o futuro pois não são capazes de se conectarem com esse propósito. Quando isso acontece não significa que a pessoa não seja capaz de formular os seus próprios planos, mas sim que ela não enxerga para onde as suas ações a conduzem. Até uma pessoa que aparentemente está sem rumo está sendo conduzida para algum lugar. É o caso então de identificar minuciosamente onde isso poderá levá-la.


De que forma você pode perceber no detalhe para quais objetivos o seu modo de agir o conduz?


Um meio eficiente para responder essa pergunta é fazer uma espécie de “scanner” em relação aos seus atos, ou seja, uma verdadeira varredura do que você está fazendo cotidianamente e do que está deixando de fazer. Coloque no papel. Desse modo você terá indícios e métodos para avaliar se o que está fazendo colabora para o sucesso dos desejos que você certamente tem. Isso além de ser um jeito de perceber melhor as suas ações e assim oferecer mais clareza para onde sua vida se dirige, igualmente o ajuda a perceber se esta direção é o que você quer ou não. Essa é uma maneira concreta de fazer um possível ajuste de rota e ainda o orientá-lo a lidar com a procrastinação e a autossabotagem. A atitude de checagem vai impactar o seu presente e consequentemente o seu futuro.


Como está o compromisso com as suas metas atualmente? A propósito, suas metas estão claras?


Outro recurso importante que pode facilitar o caminho e aproximá-lo do objetivo é implantar o uso dos baby steps (pequenos passos). Aliás, esse tema já foi abordado em um artigo detalhado que está no meu blog (https://bit.ly/3Gj0k5V).

São pequenas ações que incorporadas ao dia a dia cooperam para que você consiga chegar ao final com triunfo. Isso consiste em criar uma agenda com aquilo que você pode fazer hoje e refletir como isso impactará diretamente o seu futuro. Caso não tenha o impacto desejado, corrija já a tempo. Tome como exemplo alguém que pretende poupar dinheiro para o final do ano e percebe que no dia a dia não consegue reservar nada. A reflexão é: “ele não está poupando, logo o futuro anunciado é de que não terá os recursos desejados”. Será que poupar é realmente o que ele deseja como futuro? Se sim o que é possível de ajustar? Caso contrário talvez o desejo seja aproveitar agora sem preocupação com o futuro. O importante é ser congruente e ter consciência do que está construindo. Mas se o desejo for poupar, será necessário então começar a reservar uma pequena quantia do que ganha para essa finalidade e pouco a pouco ter mais envolvimento com a meta de poupar para que ao final do ano o objetivo seja arrematado. A ação mencionada no exemplo faz com que você lide frequentemente com o seu plano tendo pequenas conquistas e não se intimide diante de algo que parecia até então inatingível para você.


Que futuro você está organizando para si? O quão consciente você está nesse processo? Pense um pouco.


Criar métodos de avaliar os avanços, se reorganizar e manter o compromisso com as ações são esforços fundamentais para quem quer estabelecer uma conexão com os seus projetos no futuro. Naturalmente você criará disciplina e terá mais consciência do movimento que está fazendo para conseguir o seu objetivo e transformará a estagnação em progresso.


Como você costuma criar e acompanhar o seu plano para os objetivos que deseja alcançar no ano? Quais tópicos da sua lista de promessas para 2022 podem se tornar projetos concretizados? Comente aqui.


Se deseja ter apoio de coach profissional ou supervisão para se desenvolver e amadurecer neste assunto entre em contato:

jorge.dornelles.oliveira@ggnconsultoria.com.br Whats app (11) 96396.9951


Artigos relacionados:


Baby Steps: a chave para as grandes mudanças que você quer realizar:

https://www.jorgedornellesdeoliveira.com/post/baby-steps-a-chave-para-as-grandes-mudan%C3%A7as-que-voc%C3%AA-quer-realizar


Crenças limitantes: como distinguir o que é imaginário do que é real?

https://www.jorgedornellesdeoliveira.com/post/cren%C3%A7as-limitantes-como-distinguir-o-que-%C3%A9-imagin%C3%A1rio-do-que-%C3%A9-real



Jorge Dornelles de Oliveira

Janeiro de 2022





27 visualizações0 comentário