top of page

A relevância e impacto do coaching: como você está se preparando para viver o futuro do coaching?



No último artigo escrevi sobre como planejar agora a organização do futuro e trouxe exemplos das possíveis transformações que as organizações devem passar nos próximos anos baseado nos principais apontamentos de futuristas, tendências globais e na minha experiência como coaching profissional há décadas. Entretanto, nesse texto o meu desafio é o de tentar descortinar o futuro do coaching e ponderar como será a atuação nesses novos tempos. Quais as especificações mais promissoras? Quanto você coach está pronto para inspirar e capacitar pessoas na próxima década? Quais serão os principais desafios da profissão? De que forma desenvolver habilidades para lidar com as novas gerações, as novas demandas e os novos formatos de atuação? Como começar a partir de agora a trabalhar o próprio desenvolvimento para viver o futuro do coaching?


Como se desenvolver para ser um coach que gera impacto?


Se em décadas passadas o coaching one-to-one se consolidou como um recurso fundamental para o desenvolvimento das organizações, atualmente as empresas preferem destinar a sua verba para desenvolver as habilidades dos grupos e atingir mais rapidamente os resultados dos negócios e melhorar suas estratégias e entregas. Com essa ascensão no mundo corporativo o processo de Team Coaching assumiu um papel essencial na estrutura de uma organização que deseja potencializar seu próprio funcionamento de forma sustentável e garantir que tenham um sistema que permita a melhoria contínua. Existe uma demanda crescente pelo trabalho com times, algo que decorre de uma necessidade contemporânea das organizações para lidar com o fenômeno que surge a partir do processo de horizontalização da hierarquia e que tem como consequência a explosão de trabalhos em diferentes formas de grupos e times criando processos de grande energização e em muitos casos de revitalização das organizações.


Isso quer dizer que olhar para os times é olhar para o futuro do coaching. Entender como a dinâmica dos sistemas funcionam também é um ponto importante nesse nicho de atuação. Assim como é significativo saber como foi a evolução ao longo do tempo e de que forma os sistemas são percebidos nos times. Esses são desafios fundamentais para você, coach de times, na empreitada do conhecimento e do seu desenvolvimento profissional para o futuro. Ainda que não sejam tão evidentes, fatores como a cultura da organização ou alguns padrões que ela segue interferem na maneira como o time opera e incidem na sua forma de agir. Assim, é necessário conhecer as teorias sistêmicas, ou seja, o estudo interdisciplinar de diversos sistemas em geral, tem como objetivo descobrir padrões e identificar regras que possam ser aplicadas em diversos campos do conhecimento, inclusive no processo de coaching. De que forma você percebe a profundidade de atuar com os times de trabalho? O quanto essa percepção tem a ver com o futuro?


Todavia isso não significa em absoluto que o coach one to one executivo esteja menos valorizado, mas sim que as organizações estão definindo estratégias claras de investimento e priorizando one to one para os C-levels. Aliás, esse público busca constantemente desenvolvimento e muitos temas cruciais não são abordados internamente, seja pela falta de possibilidade ou até a falta de aceitação entre os pares. Temas mais profundos costumam ficar fora da pauta. Um exemplo clássico é quando o tema é vulnerabilidade (ou até fragilidades mais profundas). A medida em que executivo eleva a sua posição a vulnerabilidade fica mais distante da sua realidade. Por exemplo, ele jamais poderá admitir o medo de tomar alguma decisão ousada que colocaria, porventura, a organização em risco. Por esses motivos a sua insegurança a respeito de um planejamento inovador que deseja implementar, ou o temor que tem de enfrentar um conselho muitas vezes não são colocados em questão.


Ao identificar esse contexto fica compreensível entender que o campo do Coaching Executivo oferecerá cada vez mais espaço para lidar com temas como os que acabei de citar, afinal de contas, existe uma dificuldade no meio corporativo, nesse nível de cargo, de ser quem realmente se é. Pela minha experiência, quando você observa o universo dos C-levels é corriqueiro encontrar pessoas que possuem uma formação acadêmica robusta, que já realizaram incontáveis treinamentos de liderança, participaram das mais diversas abordagens de perfis comportamentais, responderam dezenas ou quem sabe até centenas de testes de desempenho e performance. Há um momento em que não há mais qualquer novidade nessa direção. Não há mais o que se fazer pelo menos no campo da academia. O processo de coaching então ajudará os executivos a entenderem esse momento novo e a perceber de verdade o que mudou no mundo e o que precisam modificar em si para se adaptarem.

Quando a abordagem de um processo de coaching é focada nos CEOs o universo de possibilidades para o futuro é vasto. Especialmente em Executive Coaching, passa pelo desenvolvimento de uma nova mentalidade desses líderes. As organizações têm funcionado num ambiente de volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade (VUCA: volatility, uncertainty, complexity and ambiguity), desconhecendo de que forma operar as mudanças para continuar crescendo. Suas particularidades terão que entrar num processo de transformação cultural on going, já que nesse universo em que estamos, as organizações estão mais vivas do que nunca e precisam estar em constante revisão de seus passos. É por essa razão que destaquei a importância de perceber o quanto você está atento nas mudanças que o mundo vem passando. Como você consegue enxergar a sua atuação como coach no mundo VUCA?



De que forma a sua formação em coaching o credencia para se alinhar com as demandas do futuro? O quanto você está preparado para atuar como coach one to one ou de times?


Possuir uma boa formação em coaching é indispensável para diferenciá-lo de outros profissionais, para certificar o cliente que você é habilitado a lidar com as mais diferentes circunstâncias e que conhece as mais relevantes teorias e possui experiência e preparo. Essa validação é cada vez mais exigida no mercado de trabalho. Para se ter uma ideia, mesmo atuando há mais de duas décadas como profissional nessa area, ano passado recebi a certificação em Team Coach pela European Mentoring Coaching Council (EMCC). A entidade Belga tem no seu grupo de fundadores alguns dos principais expoentes e acadêmicos na área de mentoring e coaching da história como Sir John Withmore, David Megginson, Bob Garvey, Eric Parsloe, David Clutterbuck e Julie Hay. A EMCC é conhecida como uma das mais renomadas entidades do mundo em padrões globais para mentoria, coaching e supervisão e fornece certificações para coaches, mentores e supervisores independentes através de seus programas acreditados. Globalmente se destaca devido à profundidade de pensamento, reflexão e inovação. É líder em termos de melhores práticas, padrões e competência. Além de definir parâmetros mundiais para os profissionais da área.


Porém, desenvolver habilidades mais enriquecedoras como coach inclui um equilíbrio entre conhecimento teórico e prático. Ser coach é acima de tudo ser um profissional de conhecimento holístico, ciente de muitas teorias da psicologia, teorias organizacionais, liderança corporativa; mas não com a formação de um psicólogo, nem como a formação de um administrador. Apesar disso, é preciso ter um nível razoável de informação sobre isso e a inspiração adequada para fazer uma pergunta que mexa com o cliente. Muitas vezes a pergunta que gera insight acontece em apenas 30 segundos durante a conversa. Essa sabedoria é fruto de uma combinação entre a teoria e a prática.


O seu conhecimento prático é adquirido por meio das suas inúmeras experiências reais que você vivência, e a base teórica vem desse imenso material disponível em outras ciências não especificas de coaching. Esse sistema de orientação intelectual capaz de selecionar em um universo de conhecimento teórico algo que se adeque a prática de forma cirúrgica é tão fundamental quanto o seu número de horas de atendimento, supervisão ou de estudos teóricos. Sendo assim, é possível que no futuro o coach tenha que atuar mais como um enciclopedista.


Para explicar melhor isso, lembremos que no período do iluminismo havia um movimento chamado de enciclopedismo que reunia pensadores e filósofos com o objetivo de agrupar o conjunto de conhecimentos que abarca simultaneamente os mais diversos ramos da atividade e do saber humano no intuito de conservar esses ricos conhecimentos. Uso essa metáfora do coach como um enciclopedista para ressaltar a importância de o profissional conhecer um universo muito abrangente de conhecimento, além de chamar a atenção para o fato de que temos poucos autores e pesquisadores publicando sobre o fazer coaching. Em outras palavras, é necessário que construa o seu saber a partir de outras matérias e seja capaz de acessar inúmeros conhecimentos mesmo quando não for um profundo conhecedor do tema. Como você está se desenvolvendo para obter conhecimentos necessários para atuar como coach nos próximos 5 ou 10 anos?


Avanços tecnológicos, na medicina e no estilo de vida tem impactado nos movimentos que estão ligados ao futuro do trabalho. No futuro teremos mais pessoas de diferentes gerações atuando juntas. Isso já é uma realidade, mas o número vai aumentar consideravelmente em todo o mundo. É inevitável que esse choque de comportamentos leve à conflitos geracionais dentro das organizações. Mas que tipo de conflito pode acontecer quando esse choque de gerações se encontra? Como se preparar para atuar com uma dessas diferentes gerações que se misturam nas organizações? O primeiro passo é ter em mente que como em qualquer outra situação de coaching, o autoconhecimento permitirá que você tenha a distância necessária para ouvir as necessidades do cliente. Qualquer julgamento de valor sobre o indivíduo ou qualquer estereótipo precisa ser excluído da abordagem. Só assim será possível que seus clientes façam uso construtivo da diferença e estabeleçam uma aproximação positiva com você. Os coaches de ambas as gerações precisam ser honestos consigo mesmos sobre como sua formação geracional pessoal influencia seus valores e atitudes e como isso influencia seus preconceitos. Esse elemento é fundamental para que você se comunique de forma eficaz agora e no futuro. Ao desenvolver a potencialidade dos indivíduos criando ligação, respeito e identificação, a tendência é que eles se tornem mais complacentes. O fio condutor que une todos no que diz respeito à lealdade e motivação é a apreciação. É necessário que você tenha (ou adquira) consciência do quanto essa interação é capaz de solucionar os conflitos de geração. Que estratégias você tem adotado para trabalhar com indivíduos das gerações X e Y? De que forma você está capacitado para uma cultura mais positiva em meio a expectativas conflitantes?


Claramente, não há apenas um, mas muitos cenários futuros potenciais. A chave para criar uma visão futura significativa é empregar o pensamento integral para entender como as principais tendências afetam a mentalidade das pessoas. Em um nível racional, as pessoas querem um diálogo informado e uma vida inspirada, enquanto em um nível emocional elas buscam experiências autênticas e positivas como um caminho para encontrar mais significado e realização pessoal. A aplicação do conhecimento integral permite que você se antecipe ao futuro e se sintonize com as necessidades reais das pessoas de maneira compreensiva. Utilize todos os recursos materiais e imateriais. O Coach pode ser presencial, virtual; pode se valer da tecnologia, mas não pode deixar de ser essencialmente uma maneira melhor de responder às mudanças sociais e reconhecer e aproveitar as oportunidades. Dessa forma não seremos substituídos por inteligência artificial, mas vamos aproveitar dela para avançarmos mais rapidamente.


O que você está fazendo para fazer a diferença? Quais são os seus maiores anseios profissionais como coach em relação ao futuro? O que tem feito para se antecipar?


Se você deseja saber mais sobre o assunto leia no meu blog outros artigos sobre o tema. Se deseja ter apoio de coach executivo ou team coach para se desenvolver e amadurecer neste tema, entre em contato comigo:


Jorge Dornelles de Oliveira

Maio de 2023


27 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page