Como um CEO pode transformar a intuição em uma ideia concreta?

:: mapeando a cadeira do CEO ::


De que forma o processo intuitivo pode apoiar você a liderar de forma inspiradora e única? Em um primeiro momento isso pode soar como algo fora de contexto ou contraditório. Se você pensou o mesmo, saiba que não é bem assim. A intuição de fato é uma faculdade sensória que ao ser desenvolvida se torna uma ferramenta importante para ampliar sua capacidade de lidar com cenários complexos e encontrar soluções mais adequadas para atuar nessa realidade VUCA.


Nos últimos dois artigos que escrevi, abordei os temas da imaginação e da inspiração, respectivamente, que junto com a Intuição formam a tríade dos três “is” e que você pode desenvolver como faculdades sensórias. Este desenvolvimento pessoal aumenta a capacidade de percepção sobre todos os aspectos não visíveis que compõe a organização em suas múltiplas camadas. Nessa mesma perspectiva, fecho a trilogia do conhecimento esclarecendo acerca da intuição. Se você já ocupa a posição de CEO ou se está na trilha para ingressar nesta função, eu o convido a continuar essa leitura.


Como desenvolver o critério de ‘olhar para dentro’ antes de tomar decisões sobre algo que ainda não está tão claro?


É comum ouvir dizer que quem possui intuição tem uma grande probabilidade de acertar em suas decisões. E sim, isso tem fundamento. A intuição é uma ideia pouco clara que nos dá a impressão de ser verdadeira, mas sem um conceito fundamental nítido. Por isso, outra vez vou ilustrar com o exemplo de um quadro. Diante de uma obra de arte você passa por um processo que acontece em três fases: imaginação, inspiração e intuição.


No primeiro momento você sensibiliza os sentidos, ou seja, está entrando no campo da imaginação para perceber o que está enxergando. Ação que faz parte do querer. Em seguida você passa para o campo do sentir. É o momento que precede a inspiração. Equivale a dizer que você está numa segunda dimensão do quadro e já é capaz de perceber detalhes ocultos das diversas camadas desse quadro. Ação ligada ao sentir. Por fim, chega até a intuição. Ação ligada ao pensar. Semelhante a um holograma, você se mistura ao quadro, mas não faz parte dele, embora esteja dentro. Como a própria etimologia da palavra sugere: intus (dentro) ire (ir). Literalmente significa que você está dentro. Sabe aqueles momentos em que você se percebe como um personagem da estória? Parte dela, mas ao mesmo tempo um observador privilegiado?


A simbologia aqui reflete do mesmo modo o que acontece no seu cotidiano de CEO. Em face dos desafios que você vive existem várias camadas que representam os níveis das relações com os stakeholders. Por diversas vezes esses problemas são enfrentados da mesma maneira que no processo descrito acima. Suas decisões passam pela sequência dos três “is”. Em um primeiro momento você recebe essa imagem geral e consegue entender o cenário de um lance só. No segundo momento vai decupando essa imagem, vai ver o que está por trás, perceber as interconexões, ver o que o não está dito ali. No terceiro momento, enfim, você consegue se sentir dentro desse cenário a partir de todas essas informações e assim se deslocar dentro do panorama e tomar as decisões que precisam ser tomadas tendo tanto a visão de dentro como a visão de fora.


De que forma você exprime o que você ouve interiormente? Que experiências você já teve com os três “is”? Comece a identificar sua forma de lidar com situações complexas. Lembre uma situação faça uma análise da sua abordagem. Com certeza vai encontrar imaginação, inspiração e intuição



Tanto na literatura mundial quanto no mundo corporativo o que não faltam são citações sobre o poder da intuição. Frases e pensamentos que vão de Tolstói até Steve Jobs. Contudo, quem exprimiu da forma mais precisa o que isso representa foi o filosofo Immanuel Kant no século 17: “todo o conhecimento humano começou com intuições, passou daí aos conceitos e terminou com ideias”. A afirmativa só reforça o quanto é importante ficar atento ao que intuímos. Mas somente isso não basta. É preciso trabalhar esse conhecimento por meio de um método que desperte a consciência transforme essa impressão inicial em uma ideia eficaz.


A palavra intuição remete, em geral, no cotidiano, ou a uma noção vaga de alguma coisa, um pressentimento de um fato, ou à crença na capacidade própria de captar a verdade de algo diretamente sem o processo de pensar a respeito. Para que o conhecimento intuitivo flua é indispensável um processo de educação da própria atividade reflexiva. O primeiro passo é observar a dinâmica da própria observação, para depois constatar os fatores fundamentais e opostos do ato cognitivo.


O pensar intuitivo é a vivência da própria atividade, não é um patamar onde o ser humano chega em sua evolução mental e ali se estabelece. Ele não é o ponto de chegada, é o ponto de partida para uma incomum ampliação da realidade.


Como você tem trabalhado a sua intuição em um nível mais elevado e intenso de consciência?


Dicas práticas:


Passo um: use a imaginação! No primeiro momento, procure perceber o panorama inteiro, não pense nos detalhes, lembre-se de como observa um quadro ou uma paisagem.


Passo dois: use a inspiração! Perceba o você está sentido, veja o que não está sendo colocado na mesa, lembre-se do quadro, observe as interconexões, veja em duas dimensões os aspectos não visíveis, culturais, políticos etc.

Passo três: use a intuição! Lembre-se da figura do holograma. Ela te ajudará a levá-lo para dentro do cenário e a ter a visão de ‘in loco’ e assim você terá todas as condições de visualizar o cenário como criador e criatura; poder fluir e de forma consciente tomar suas decisões.


Se deseja ter apoio de coach profissional para se desenvolver e amadurecer neste tema, entre em contato: jorge.dornelles.oliveira@ggnconsultoria.com.br Whats app (11) 96396.9951.


Leia os artigos relacionados ao desenvolvimento do conhecimento sensório:


Como a inspiração pode ajudar o CEO a liderar de forma eficiente?

https://www.jorgedornellesdeoliveira.com/post/como-a-inspira%C3%A7%C3%A3o-pode-ajudar-o-ceo-a-liderar-de-forma-eficiente


Por que desenvolver a sua imaginação pode torná-lo um CEO mais competente?

https://www.jorgedornellesdeoliveira.com/post/por-que-desenvolver-a-sua-imagina%C3%A7%C3%A3o-pode-torn%C3%A1-lo-um-ceo-mais-competente


#coach #coaching #executivecoach #coachexecutivo #executivo #ceo #mentalidade #carreira #lider #lideranca #negocios #empresa #organizacao #mindset #steiner #inspiracao #antroposofia #pensamento #competencias #dimensoes #intuicao #steiner #kant #pensamento #conhecimento


Jorge Dornelles de Oliveira

Julho de 2021


22 visualizações0 comentário