A atuação do coach como um enciclopedista do conhecimento

::reflexões sobre coaching::


Na atuação do coach a capacidade de criar o espaço para que o cliente vivencie suas experiências únicas é um diferencial competitivo. Desenvolver essas habilidades é algo que inclui, conhecimento teórico e prático. No entanto, há uma questão que inquieta os coaches e frequentemente eleva debates: o que é mais importante: o conhecimento teórico ou o prático? Você seria capaz de responder essa questão sem hesitar? Se você é coach profissional é bem provável que esse tema tenha sido abordado por alguém ou por você mesmo em certo momento da carreira. Ficou curioso para saber qual é a resposta? Então reflita comigo lendo este artigo.


De que forma é possível avaliar quais os parâmetros que indicam a sua habilidade profissional? O que de fato contribui para o desenvolvimento de um coach capacitado para atender os mais diversos tipos de clientes e de situações?


Assim como no período do iluminismo havia um movimento chamado de enciclopedismo que reunia pensadores e filósofos com o objetivo de agrupar o conjunto de conhecimentos que abarca simultaneamente os mais diversos ramos da atividade e do saber humano no intuito de conservar esses ricos conhecimentos. O paralelo é que naquele momento não havia especialização, então o conhecimento era genérico. A situação com o coaching é semelhante hoje. Existem raras pesquisas focadas em coaching; consequentemente pouco material escrito a partir da visão da experiência do processo. Temos sim muitas metodologias usadas em coaching, baseadas em estudos acadêmicos e manuais oriundos de principalmente da área da psicologia. Entendo que Carl Rogers e Aaron Becker estão entre as referências fortes para a prática de coaching. Assim como muitos autores da área de desenvolvimento organizacional, liderança, entre tantos outros.


Uso essa metáfora do coach como um enciclopedista para ressaltar a importância de o profissional conhecer um universo muito abrangente de conhecimento, além de chamar a atenção para o fato de que temos poucos autores e pesquisadores publicando sobre o fazer coaching. Essa contribuição que deveria partir da prática para o teórico faria então surgir algo novo, específico, e realmente fundamentado dessa nova prática. Enquanto isso não acontece, se espera do coach, ao longo de sua carreira, que atue cada vez mais desse modo, ou seja, se torne um enciclopedista de conhecimentos. Em outras palavras, que construa o saber a partir de outras matérias e seja capaz de acessar inúmeros conhecimentos mesmo quando não for um profundo conhecedor do tema.


Imagine a seguinte cena: uma biblioteca com centenas ou milhares de livros e você está em busca de extrair de algum desses livros algum conhecimento específico que lhe dará a resposta desejada. Não basta você ter os livros enfileirados e nem se quer ter lido a todos eles. É preciso que você saiba onde encontrá-lo e de que forma usará isso a seu favor. Do mesmo modo que você saber “um pouco de tudo” é mandatório para ser um bom coach. Para fazer a pergunta adequada no momento certo, você deverá ter o preparo para acessar de forma acertada algo que está guardado na sua enciclopédia. Isto é, ter precisão em suas perguntas mesmo sem ser um notável mostrará que você possui domínio e habilidade para lidar como um verdadeiro enciclopedista. Isso comprova a sua desenvoltura em lidar com questões distintas de clientes diferentes como ainda em acessar seus próprios conteúdos de situações similares encaradas anteriormente.



Especialmente um coach executivo necessita conhecer sobre teorias da psicologia, teorias organizacionais, liderança corporativa; mas não com a formação de um psicólogo, nem como a formação de um administrador. Contudo, necessita ter um nível razoável de informação sobre isso e a inspiração adequada para fazer uma pergunta que mexa com o cliente. Muitas vezes essa pergunta que gera o insight acontece em apenas 30 segundos durante a conversa. Essa sabedoria é fruto de uma combinação entre a teoria e a prática.


Como você obtém o conhecimento necessário para atuar como coach?


Quando escrevo sobre o coach atuar como um enciclopedista é sobre isso que eu quero dizer! O seu conhecimento prático é adquirido por meio das suas inúmeras experiências reais que você vivência, e a base teórica vem desse imenso material disponível em outras materiais não especificas de coaching. Esse sistema de orientação intelectual capaz de selecionar em um universo de conhecimento teórico algo que se adeque a prática de forma cirúrgica é tão competitivo quanto o seu número de horas de atendimento ou quanto o número de estudos teóricos alcançados na carreira.


No conceito do enciclopedismo se empreendeu a reunião de vários conhecimentos onde se registravam as suas ideias o qual gerou uma grande enciclopédia capaz de aglomerar as várias manifestações do conhecimento humano. Na sua trajetória como coach profissional você já é capaz de recordar e compartilhar as abordagens reais que colaboraram para o seu desenvolvimento profissional? Como você tem utilizado essas experiências com sabedoria para o seu progresso profissional?


Meu convite e para que você continue acompanhando a sequência de artigos onde irei compartilhar um pouco de como organizei minha enciclopédia ao longo dos anos com seleção de algumas teorias e autores que influenciaram minha forma de atuar.


Se deseja ter apoio de profissional ou supervisão para se desenvolver e amadurecer neste tema, entre em contato: jorge.dornelles.oliveira@ggnconsultoria.com.brWhats app (11) 96396.9951



Leia artigos relacionados:



Ação em coaching: o caminho para adquirir uma nova competência

https://www.jorgedornellesdeoliveira.com/post/a%C3%A7%C3%A3o-em-coaching-o-caminho-para-adquirir-uma-nova-compet%C3%AAncia


Coaching: entre a zona de conforto e o mindset de crescimento

https://www.jorgedornellesdeoliveira.com/post/zona-de-conforto-mindset-de-crescimento-e-a-a%C3%A7%C3%A3o-em-coaching


A mentalidade cartesiana da solução de problemas e a realidade holística dos processos

https://www.jorgedornellesdeoliveira.com/post/a-mentalidade-cartesiana-da-solu%C3%A7%C3%A3o-de-problemas-e-a-realidade-hol%C3%ADstica-dos-processos



Jorge Dornelles de Oliveira

Outubro de 2021

20 visualizações0 comentário